1 Início com a vinda do padre José Zanelli

 

As manifestações artísticas em Ibiporã tiveram um impulso inicial no final da década de 1940, com a chegada do jovem padre José Zanelli, que desembarcou na cidade, vindo da Itália, em 1948. Muito inteligente e culto, foi vigário na cidade quando o pároco era o padre Leone Gervasoni - ambos da mesma congregação italiana, o PIME (Pontifício Instituto para as Missões Exteriores).

 

Zanelli tinha uma "cabeça cheia de sonhos" e logo começou a colocá-los em prática. Gostava de música e produzia partituras, tocava vários instrumentos e dava aula aos jovens.

 

Entendia também de teatro. Era dramaturgo, escrevia peças teatrais e dirigia cada ato, que era encenado ao som de sua música. Fundou o Coral Santa Cecília, no qual os cantores eram jovens e crianças. Este grupo continua em atividade até hoje na Igreja Matriz.

 

A muitos jovens e adultos, alguns analfabetos, Zanelli, com seu modo carinhoso, mas enérgico, ensinava a ler partituras e conseguia que aprendessem a tocar piano, violino, instrumentos de sopro e de percussão. Com recursos próprios, comprou instrumentos para uma pequena banda de música. Essa banda, chamada de "Furiosa", fazia muito sucesso e passou a fazer parte das festas locais.

 

Certa vez o padre José Zanelli ganhou numa rifa uma quantia em dinheiro que tratou logo de aplicar. Comprou o terreno onde hoje se localiza a Prefeitura Municipal e a Câmara de Vereadores (na Rua Padre Vitoriano Valente). Ali formou um campo de futebol, com arquibancadas, o único na região com esse recurso. Fundou no local o time do Cruzeiro, que era conhecido como "o time do padre". Além de futebol, realizava corridas de motocicleta e bicicleta, e promovia campeonato de xadrez e pingue-pongue.

 

O SALÃO PIO XII

 

Logo que chegou a Ibiporã, Zanelli tratou de reformar o barracão que ficava ao lado da igreja de madeira, transformando-o no Salão Pio XII. Construiu no local um palco para que a comunidade pudesse ter um lugar para apresentações culturais aos finais de semana: peças de teatro, operetas, canto, projeções de cinema e shows de calouros.

 

Zanelli era catequista e após as aulas convidava os jovens para sessões de filmes no Pio XII. Também vinham pessoas das cidades vizinhas para assistir aos filmes, acompanhar as produções de arte, peças teatrais e shows de calouros. O padre ainda trouxe cantores famosos da época para Ibiporã, como Vicente Celestino, Nelson Gonçalves e Gregório Barros.

 

Padre José Zanelli permaneceu em nossa cidade até o ano de 1959. Devido a esse intenso trabalho cultural, o Cine Teatro Municipal, construído em 1988, levou o seu nome.

 

Imagens

  1. Aniversário do Município 1953 - Pe. José Zanelli (

    Aniversário do Município 1953 - Pe. José Zanelli (

  2. Padre Zanelli com jovens

    Padre Zanelli com jovens

  3. Pe. José Zanelli com meninos Ademir Rampazzo, 1953

    Pe. José Zanelli com meninos Ademir Rampazzo, 1953

  4. Banda de música do padre Zanelli

    Banda de música do padre Zanelli